Teoria das Restrições: empresas atingem crescimento, estabilidade e harmonia

teoria das restrições para crescimento estabilidade e harmonia
teoria das restrições para crescimento estabilidade e harmonia

Teoria das Restrições: empresas atingem crescimento, estabilidade e harmonia

Segundo Aureo Villagra, Partner e CEO da Goldratt Consulting no Brasil, um dos principais diferenciais da Teoria das Restrições (TOC) é a focalização, olhar o sistema como um todo e ajustar somente aquilo que precisa ser melhorado.

O Brasil está em um momento de transição e recuperação econômica. Com a aplicação da Teoria das Restrições (Theory of Constraints – TOC, na sigla em inglês) – metodologia importada de Israel que tem ajudado companhias nacionais e multinacionais, incluindo empresas familiares, a identificarem seu ponto de alavancagem – as organizações podem voltar a ter crescimento, estabilidade e harmonia em 2019. É o que garante o Partner e CEO Brasil e Portugal da Goldratt Consulting, Aureo Villagra.

“O dia a dia atribulado da vida empresarial nos leva a complicar mais do deveria as coisas, a perder o foco, sobretudo em períodos de crise. Enquanto na recessão os gestores querem cortar custos, o que chama a atenção na Teoria das Restrições é o poder de focalização naquilo que deve ser mudado, não fazer tudo o que pode ser feito, mas fazer primeiro o que realmente traz um grande impacto para a organização. O diferencial da TOC é a simplicidade dos seus processos de raciocínio”, conta Villagra, enfatizando que o corte de custos pode ser necessário em algumas situações, mas o que faz a diferença é acelerar o fluxo de geração de valor da empresa. “Melhor do que reduzir custos para aumentar a produtividade é entregar valor para o cliente. É assim que se cria a vantagem competitiva que pode garantir o sucesso da empresa no curto e no longo prazo”.

Quando a empresa oscila entre crescer, fazer investimentos e ações de longo prazo, e ter estabilidade, cortar custos e focar em ações de curto prazo, gera desarmonia e possíveis conflitos entre as áreas. “Quando identificamos o ponto de alavancagem da empresa e colocamos foco em desenvolvê-la, o crescimento e a estabilidade podem andar juntos. Resolvendo bem esse dilema, é possível ter harmonia”, explica Aureo Villagra. “As prioridades são claras para todos e a empresa está focada em entregar valor ao seu cliente”.

Introduzida no livro A Meta, best-seller no mundo da gestão de empresas, a Teoria das Restrições, elaborada pelo físico Dr. Eli Goldratt, explica que uma das coisas mais importantes para os CEOs é olhar o sistema empresarial como um todo – e não cada parte do sistema de forma isolada – para que o processo fique mais produtivo, com pouco custo e muita entrega.

Entre as centenas de casos de sucesso da Goldratt Consulting Brasil, está a Betânea Lácteos, empresa de laticínios do Nordeste, produtora e distribuidora líder na região. Utilizando a Teoria das Restrições, a empresa percebeu que seu crescimento não estava relacionado ao custo de produtividade de mão de obra, mas sim de colocar os itens mais procurados pelos clientes nas gôndolas dos supermercados. Dessa forma, em questão de seis meses, a empresa saiu de um nível de corte de 13% para 7%, aumentando 40% seu giro de estoque, sem mais investimentos, deixando os processos mais simples e com mais harmonia entre as equipes.

“Em varejo, o raciocínio é simples: o empresário precisa colocar na loja aquilo que o cliente quer. Através de lead times curtos do Centro de Distribuição para as lojas, é possível ressuprir a venda de forma ágil, sem precisar ter excesso de estoques nas lojas para proteger a disponibilidade dos produtos”, explica Villagra. Segundo o especialista, com as ferramentas da TOC é possível inserir um sistema puxado pela demanda real, para atingir resultados reais, não tentando melhorar as previsões de vendas.

Com operações no Japão, na Índia, na China, na Europa, nos Estados Unidos e na América Latina, a Goldratt Consulting atua com clientes como P&G, Boeing, Riachuelo, Vivara, Toyota, Sony e Panasonic, auxiliando empresas através de diferentes processos: coaching pessoal, treinamentos, conferências e eventos que discutem as aplicações da Teoria das Restrições e, até mesmo, projetos grandes e estruturados de consultoria. Os resultados, por sua vez, dependem de cada caso, uma vez que existem clientes que precisam aumentar a produtividade com urgência e outros que estão mudando todo o modelo de negócios.

“As ações tomadas a partir da Teoria das Restrições são simples, porém é preciso que os gestores quebrem paradigmas e mudem o mindset. A TOC permite que as organizações obtenham, simultaneamente, crescimento, estabilidade e harmonia. Deixando as prioridades claras para todos, desde o chão de fábrica até a diretoria e presidência, para que o fluxo possa ser acelerado”, relata o CEO da Goldratt Consulting no Brasil. “Apesar de falarmos muito em lógica, há uma tríade tão importante quanto: emoção, intuição e razão. Se as pessoas gostam do que fazem, começam a desenvolver a sua intuição e percebem que algo deve ser melhorado, fazendo de uma maneira diferente. E assim pode ser usado os processos de raciocínio da TOC, para transformar essa intuição em algo concreto”.

 

Sobre a Goldratt Consulting

Com sede em Israel, a Goldratt Consulting aplica a Teoria das Restrições (Theory of Constraints – TOC) para ajudar organizações de diversos tamanhos e perfis a identificarem os obstáculos que impedem seu crescimento no mercado, definindo as mudanças necessárias para que alcancem os resultados esperados, com aplicações em varejo, distribuição, produção, inovação, hospitais, em setores públicos e privados.

// Leia a seguir

Fique por dentro das últimas matérias que a Goldratt traz para você.

Novidades!

Receba atualizações sobre matérias e eventos no nosso site